Arquivo de junho de 2012

A Casa da SEBASTIANA 26/06/2012

quarta-feira, 27 de junho de 2012

SEBASTIANA - Associação Independente dos Clocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Tereza e Centro da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro

SEBASTIANA – Associação Independente dos Clocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Tereza e Centro da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro


A SEBASTIANA - Associação Independente dos Clocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Tereza e Centro da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, ganhou hoje a sua casa localizada na Rua Riachuelo próximo dos Arcos da Lapa, os blocos abaixo relacionados são os membros da SEBASTIANA:

Bloco da Ansiedade (Laranjeiras)
Bloco do Barbas (Botafogo)
Bloco das Carmelitas (Santa Teresa)
Bloco de Segunda (Botafogo)
Bloco Virtual (Ipanema)
Escravos da Mauá (Centro)
Gigantes da Lira (Laranjeiras)
Imprensa que eu gamo (Laranjeiras)
Meu Bem,Volto já! (Leme)
Que merda é essa? (Ipanema)
Simpatia é Quase Amor (Ipanema)
Suvaco do Cristo (Jardim Botânico)

Rita Fernandes, presidente da Sebastiana falou sobre a ideia de reunir a história dos blocos surgiu de uma conversa entre os fundadores dos blocos do carnaval de rua. Já Jorge Sapia informou que o trabalhou já começou com a recuperação de camisetas e fotos dos desfiles dos blocos da Sebastiana.

Em uma reunião simples o Projeto da Casa da Sebastiana foi lançada na Lapa. A animação do evento foi feita pela Banda do Cordão da Bola Preta e por uma roda de samba dos blocos da entidade.

Foto 01

Foto 01

Foto 0

Foto 02

Foto 03

Foto 03

Foto 04

Foto 04

Foto 05

Foto 05

Foto 06

Foto 06

Foto 07

Foto 07

Foto 08

Foto 08

Foto 09

Foto 09

Foto 10

Foto 10

 

Foto 11

Foto 11

Foto 12

Foto 12

Foto 13

Foto 13

Foto 14

Foto 14

Capitalista verde também explora e só visa lucro

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Essa foi uma semana que fomos assediados por grandes emoções. Não bastasse a RIO+20 hoje (21/junho/2012), o jornal Estado de São Paulo coloca em destaque na capa: SUPERMERCADO DE SP JÁ PODE VOLTAR A DAR SACOLINHA.

jornal Estado de São Paulo de 21 junho de 2012

leia a página original da matéria em PDF.

Jornal Estado de São Paulo página 19 de 21 de junho de 2012

Jornal Estado de São Paulo página 19 de 21 de junho de 2012

As sacolas  plásticas foram retiradas dos supermercados em janeiro de 2012, parece que foi apenas uma peça de propaganda.

A atuação do Ministério Público de São Paulo apoiado pela Seção da OAB-SP, retira o impedimento e deixa que os supermercados decidam o que fazer. Ninguém na OPINIÃO PÚBLICA ( se contrapõe a essa pouca vergonha.

Essa decisão foi a contribuição paulista na semana da RIO+20.

Com a semana da RIO+20 a CPMI do Cachoeira ficou em segundo plano e não tem reunião da Comissão. A desculpa é: os parlamentares vão participar da reunião no evento do Rio de Janeiro. Mas o líder do PSDB no Senado conseguiu fazer a ligação entre investigados  e testemunhas que já estiveram na CPMI. A declaração nfoi o plenário do Senado e divulgada pelo sítio no PSDB (leiam no original).

Outros parlamentares avisaram que ouviriam fora da CPMI algumas pessoas que teriam muitas informações prioritárias para o sucesso das investigações. Até agora nada aconteceu.

Na próxima segunda-feira haverá a votação do relatório da Comissão de Ética do Senado com relação ao Senador Demóstenes, esperamos que, aproveitando o descanso, os parlamentares se debrucem com afinco sobre os dados já fornecidos à CPMI e que novas informações tenham sido enviadas à CPMI fruto das novas quebras de sigilo que foram aprovadas. A próxima semana poderemos ter novidades e conclusões importantes.

Como não há uma semana em que a  não se dedique a desmerecer o ex-presidente Lula, ele colaborou indo a residência do Paulo Malu, cumprimenta-lo, para fechar o acordo com o PP (partido que apoia o governo do PT a nível federal) e assim conseguir maior tempo de propaganda para a campanha do candidato do PT à prefeitura da capital paulista. Da minha parte, penso que reunidos Maluf e os opositores do PT escolheram e tramaram a foto (Lula, Hadad, Maluf) para tentar atrapalhar mais a candidatura do PT à prefeitura de São Paulo. Se essa ilação que imaginei aconteceu espero que fracasse.

Esse fato, fez com que a Deputada Luiza Erundina (PSB-SP) declinasse da sua indicação para ser candidata a vice-prefeita do candidato do PT Fernando Haddad e também fosse co-responsável pelos vários artigos na OP e nas cartas dos leitores criticando o Lula. Lamentávelmente, os partidários do PSDB na imprensa, esqueceram que até antes da foto (diga-se deplorável), não havia nenhum questionamento ao provável apoio que o Maluf oferecia junto ao governador paulista Geraldo Alckmin para o candidato psdbista. Outra análise decorrente dessa efeméride é que, sempre a OP em suas análises políticas diz que a direita sempre está unida e forte, e se essa é a realidade rachou o conservadorismo.

Tenho dúvidas que os eleitores do Maluf votem no candidato do PT. Por outro lado, a coerência da Luiza Erundina foi muito importante, ao divergir deixou a chapa, mas declarou que fará a campanha e estará ao lado do candidato Fernando Hadad (PT). A oposição ficou atordoada e os opositores em seus artigos na  OP se apresentam chocados com a falta de coerência política do Lula. Deveriam tentar se resguardar dos seus aliados.

O PSDB e seus aliados não tem autoridade moral para combater a aliança do PT com o PP (leia-se em SP – Paulo Maluf) , mesmo porque o PSDB acaba de se aliar com o PR de Valdemar da Costa Neto (PR-SP), associado ao fisiologismo no Congresso e no país. Vejam só, em 20 de setembro de 2011 morreu Geraldo de Souza Amorim, depois de ser baleado, era administrador da Feira da Madrugada em São Paulo, além disso era uma das principais testemunhas contra o citado deputado que responde a três denúncias de cassação. Geraldo foi morto pelo seu próprio segurança ao tentar defende-lo durante um assalto detalhe, os assaltantes não morreram.  O segurança está foragido e segundo a assessoria do deputado paranaense Fernando Francischini (PSDB), relator das denúncias contra Valdemar da Costa Neto na Câmara. Na verdade são três denúncias de cassação, mas duas denúncias ocorreram antes do mandato atual, o que já livrou a Jaqueline Roriz que parece que fez escola. Quanto ao candidato do PSDB à prefeitura paulistana é o que possui maior rejeição entre os candidatos, talvez ajude o fato de nunca completar um mandato para o qual é eleito.

A última quarta-feira nos deu na Avenida Rio Branco uma passeata realizada pela Cúpula dos Povos, que se reune no Aterro do Flamengo durante a RIO+20 um grande exemplo de democracia. Não havia uma palavra de ordem unitária, mas sim vários jovens e militantes, cada um defendo o que acredita desde o ensino, a proteção ambiental, a liberdade de opção sexual, críticas ao governo do Estado do Rio de Janeiro, à Prefeitura do Rio de Janeiro e sobretudo ao Governo Federal que hoje tem as Universidades Federais paralisadas por não ter cumprido um acordo que fez em negocição no ano passado.

Além de tudo isso a RIO+20 acontece e tem o Governo Brasileiro sendo responsável por fechar um documento que deverá ser aprovado pelos representantes e governos que vieram a RIO+20. O documento recebe muitas críticas por não impor limites e datas ou responsabilidades financeiras aos paises mais desenvolvidos, mas conseguiu deixar claro que a defesa ambiental é irreversível e que a defesa das populações de baixa renda é uma prioridade mundial. Uma outra constatação foi ao ver no Aterro dos Flamengos muitos índios brasileiros, e verificar que os índios se misturam aos brasileiros principalmente nordestinos.

Tanque de pão árabe na passeata da Cúpula dos Povos

Tanque de pão árabe na passeata da Cúpula dos Povos

Ao ver a imagem do tanque na Rio Branco lembrei de outra imagem que já ficou distantee e com certeza não voltará.

Golpe militar de 1968

Golpe militar de 1968

Passeata da Cúpula dos Povos 21 de junho de 2012.

Passeata da Cúpula dos Povos 21 de junho de 2012.

 

Cúpula dos Povos na Rio Branco 21 de junho de 2012

Cúpula dos Povos na Rio Branco 21 de junho de 2012

 

Cúpula dos Povos Partido dos Trabalhadores

Cúpula dos Povos Partido dos Trabalhadores

 

Cúpula dos Povos - O mundo em nossas mãos

Cúpula dos Povos - O mundo em nossas mãos

 

Cúpula dos Povos - Soberania

Cúpula dos Povos - Soberania

 

Passeata da Cúpula dos Povos - greve das universidades federais em 2012

Passeata da Cúpula dos Povos - greve das universidades federais em 2012

Passeata Cúpula dos Povos 2012

Passeata Cúpula dos Povos 2012

Socialismo - Cúpula dos Povos 21 de junho de 2012

Cúpla dos Povos passeat em 21 de junho de 2012

Cúpla dos Povos passeat em 21 de junho de 2012

o final da passeata da Cúpula dos Povos em 21 de junho de 2012

o final da passeata da Cúpula dos Povos em 21 de junho de 2012

Só nos resta aguardar a próxima semana e ver o desenrolar dos acontecimentos.

(atualizado às 23:00 h)

A CPMI do CACHOEIRA e os dados disponíveis.

segunda-feira, 18 de junho de 2012
Carlos Augusto Ramos (Carlinhos Cachoeira)

Carlos Augusto Ramos (Carlinhos Cachoeira)

A página da Liderança do Senado do PSDB traz importante denúncia hoje 18 de junho de 2012.

Leiam abaixo e logo após revivendo a compra da casa do Governador de Goiás uma notícia do Correio Brasiliense datada de 13 de junho de 2012.

A CPMI do Cachoeira está no caminho certo:

primeiro fazer levantamentos nos dados que estão em poder da Comissão depois convocar as testemunhs e depoentes.

 

Leiam:

18 de junho de 2012 – 17:46 copiado da página da LIDERANÇA DO SENADO DO PSDB

 Lider apresenta documentos que comprovam triangulação entre governo – Delta – Cachoeira.

(http://www.lidpsdbsenado.com.br/2012/06/lider-apresenta-documentos-que-comprovam-triangulacao-entre-governo-delta-e-cachoeira/)

Foto: Cadu Gomes

Da tribuna, na sessão desta segunda-feira (18/06), o Líder do PSDB, senador Alvaro Dias, apresentou estudo organizado a partir de uma série de documentos recebidos pela CPI Mista do caso Cachoeira, que comprovam as conexões do governo federal com a Delta Construções e desta com o esquema criminoso do bicheiro Carlinhos Cachoeira. Pelo esquema revelado por Alvaro Dias, a Delta ganhava licitações do governo, principalmente no Dnit, apresentando preços risíveis, e depois que assinava os contratos, requeria diversos aditivos, simulando serviços fictícios com empresas laranja. Estas, como a empresa Alberto Pantoja, de propriedade de Cachoeira, por fim repassava recursos a intermediários.

Usando um gráfico, o Líder do PSDB mostrou a ligação da Delta com a empresa laranja Alberto Pantoja. Segundo lembrou o senador, os dados são fruto de informações oficiais retiradas de documentos do inquérito do caso Cachoeira, que teve o sigilo de justiça revogado pelo STF. O estudo apresentado pelo Líder revela que dos valores recebidos pela Delta em contratos com o governo federal, mais de R$ 29 milhões irrigaram as contas da empresa Alberto Pantoja, e destas contas o dinheiro foi retirado por pessoas ligadas ao contraventor.

“Há uma clara conexão entre o governo federal e a empresa Delta, e desta com a empresa Alberto Pantoja, e daí para integrantes da quadrilha comandada pelo bicheiro. Aqui, há material suficiente que comprova a triangulação de recursos. São números oficiais, resultantes da quebra de sigilo bancário, e os estamos apresentando porque o Supremo Tribunal Federal atendeu a um pedido da CPI e revogou o segredo de justiça para o inquérito decorrente da Operação Monte Carlo. Portanto, a atitude que adotamos, hoje, está respaldada na decisão do Supremo e é legal”, afirmou o senador.

Alvaro Dias mostrou uma planinha com a relação de empresas, parentes e nomes ligados a Cachoeira, além de valores recebidos. De acordo com o senador, os valores vieram de contratos da Delta com o Dnit, daí a importância da convocação do ex-diretor do órgão e do ex-presidente da construtora. O senador lembrou que, conforme noticiado, Pagot já declarou que foi derrubado de seu cargo no Dnit por pressões de Cachoeira e Cavendish.

“Apresento esse trabalho para comprovar que não se pede por pedir, não se exige simplesmente pelo gosto da exigência, mas porque é necessário ouvir os srs. Fernando Cavendish e Luiz Antonio Pagot na CPI. Por que temem o depoimento deles? Por que não desejam ouvi-los? Se há uma predisposição de Pagot de vir à CPI, sem receio e de contar o que sabe, por que impedir? O que revela essa postura é medo ou é desejo de colocar debaixo do tapete toda sujeira existente? E por que não convocar o Sr. Fernando Cavendish, que liderou a turma do guardanapo branco nas festas de Paris? Nós já temos aqui a prova oficial, material, documentada das relações do governo federal com a empresa Delta e desta com Cachoeira. O passeio do dinheiro demonstra que há uma relação de promiscuidade de agentes públicos com agentes privados e com os criminosos. Portanto, não há razão alguma que justifique a não convocação de Pagot e de Cavendish”, defendeu o senador.

CPI nos trilhos

Em entrevista à imprensa após seu discurso no Plenário, o senador Alvaro Dias defendeu que os parlamentares que integram a CPI do Cachoeira e participaram recentemente de um almoço em Paris com Fernando Cavendish, dono da empreiteira Delta, deveriam pedir afastamento da comissão. O Líder do PSDB disse que a CPI está “sob orientação política suspeita”.

“É preciso recolocar a CPI nos trilhos, valorizando o real objeto de investigação, que é o desvio do dinheiro público por meio das operações da Delta, tendo Cachoeira como principal traficante de influência”, afirmou o senador tucano.

Eduardo Mota – Assessoria de Comunicação da Liderança do PSDB no Senado 

 

copiado da página do Correio Brasiliense (http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2012/06/13/interna_politica,306940/cheques-usados-na-compra-da-casa-de-perillo-estao-ligados-a-cachoeira.shtml)

CORREIO BRASILIENSE Publicação: 13/06/2012 07:55

Cheques usados na compra da casa de Perillo estão ligados à Cachoeira

Cheques emitidos para a compra da casa de Marconi Perillo eram da Alberto e Pantoja, e foram pagos nas mesmas datas em que a empresa recebeu repasses da Excitant, próxima à Delta pagos nas mesmas datas em que a empresa recebeu repasses da Excitant, próxima à Delta
João Valadares

Gabriel Mascarenhas

Publicação: 13/06/2012 07:55 Atualização:

Informações colhidas pela CPI a partir da quebra de sigilo da empresa fantasma Alberto e Pantoja Construções atestam que os três cheques repassados ao governador Marconi Perillo (PSDB-GO) como pagamento pela venda de sua casa, no ano passado, saíram de uma empresa que recebeu dinheiro da construtora Delta. A empreiteira está no centro do esquema Cachoeira. Os cheques, dois de R$ 500 mil e um de R$ 400 mil, que entraram na conta do governador, foram emitidos pela empresa de confecções Excitant, de propriedade do sobrinho do bicheiro, Leonardo Augusto Ramos.

O que chama a atenção é que o primeiro cheque, datado de 2 de março, foi compensado em 4 de abril. Nessa data, de acordo com os dados colhidos pela comissão, a Alberto Pantoja transfere R$ 250 mil para a Excitant. O último pagamento entra na conta do governador em 2 de maio. Outra coincidência. Neste dia, a Alberto Pantoja, que já recebeu depósitos da Delta de pelo menos R$ 30 milhões, repassa mais R$ 400 mil para Excitant. Exatamente o mesmo valor do último cheque recebido por Perillo.

Habeas Corpus para Carlinhos Cachoeira

sexta-feira, 15 de junho de 2012

O desembargador Tourinho Neto da Tribunal Regional Federal da 1ª Região, concedeu nesta sexta-feira um habeas corpus ao contraventor Carlinhos Cachoeira. Mas como Carlinhos Cachoeira responde a outro processo a sua libertação não será concretizada.

Também está sendo aguardado pelo advogado de defesa do Carlinhos Cachoeira a nulidade das provas da Operação Monte Carlo.

Os advogados do Senador Demóstenes Torres  (ex-DEM) às vésperas de o Conselho de Ética votar o relatório sobre a cassação do seu mandato,  pediram nesta quinta ao Supremo Tribunal Federal (STF) que suspenda o processo disciplinar.

A página 3 da segunda edição do Jornal O Globo mostrou ontem na CPMI os deputados da oposição rindo, rindo de que.

página 3 do jornal O Globo mostra antes da reunião de ontem deputados da oposição sorrindo

página 3 do jornal O Globo mostra antes da reunião de ontem deputados da oposição sorrindo

A justiça negou o pedido de suspensão do julgamento do senador Demóstenes Torres e hoje seus advogados entram com um pedido de adiamento da sessão do colegiado, marcada para a próxima segunda-feira no Conselho de Ética.

A CPMI deveria se debruçar sôbre os dados que recebeu e se não recebeu divulgar quem até o presente momento não encaminhou as solicitações para a Comissão.

Com a Rio+20 e as festas juninas que ocorrerão na próxima semana a OPINIÃO PÚBLICA (OP)  (os que assim se auto-intitulam jornais: O Globo / Estado de São Paulo / Folha de São Paulo e as revistas: Veja / Isto é / Época) deverá fazer uma grande campanha contra a CPMIs se a mesma deixar o espaço desocupado.

O Deputado Miro Teixeira declarou hoje que alguns deputados e senadores deverão ouvir o ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Luiz Antônio Pagot, alguma informação devem ter para criarem esse cenário.

Ontem a oposição encaminhou um pedido de comparecimento da Presidenta Dilma Rousseff à CPMI para esclarecer o recebimento de verbas de campanha. Depois transformaram em um pedido de explicações. Enquanto isso os governistas  ameaçaram convidar o José Serra.

Aos poucos, todos parecem que estão na verdade se divertindo.

A questão é mais séria do que todos pensam. E a população brasileira está atenta as tomadas de decisão.

Não esqueçam que teremos eleições em outubro.

 

 

 

A OPINIÃO PÚBLICA (OP) e a CPMI do Cachoeira.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Amanhã a OPINIÃO PÚBLICA (os que assim se auto-intitulam jornais: O Globo / Estado de São Paulo / Folha de São Paulo e as revistas: Veja / Isto é / Época) contará a história sobre o que aconteceu nos últimos três dias. Vamos aguardar e verificar.

Governador Marconi Perillo (Goiás) Governador Agnelo Queiroz (Brasília)

Governador Marconi Perillo (Goiás) Governador Agnelo Queiroz (Brasília)

Apenas para conferir um pequeno relato dos três dias da CPMI.

Dia 12 de junho de 2012

Comparece a CPMI o governador de Goiás Marconi Ferreira Perillo Júnior (Marconi Perillo).

O motivo do comparecimento:

nas gravações realizadas pela Polícia Federal mais de 200 vezes teve seu nome citado, encontrou o contraventor Carlinhos Cachoeira em almoço, jantar e falou pessoalmente pelo telefone parabenizando-o no dia do seu aniversário. Também das gravações realizadas e divulgadas pela imprensa mais de cem (100) pessoas ligadas ao Carlinhos Cachoeira foram nomeados no governo de Goiás. Ainda segundo a imprensa cerca de 34 comandantes da PM de Goiás foram trocados, por terem vinculação com o grupo do Carlinhos Cachoeira. A imprensa divulgou que a casa de sua propriedade foi vendida a Carlinhos Cachoeira e lá ocorreu sua prisão.

Falando a CPMI o Governador Marconi Perillo declarou que teve relações sociais com o empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos que era conhecido em Goiás por ser empresário. Ao longo de mais de oito horas de depoimento à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito negou o envolvimento do Carlos Augusto Ramos e da empresa Delta com seu governo, declarou que era vítima de ilações e “Não há nenhum ato do governo de Goiás, no meu governo, em beneficio ou na direção do que suscita os diálogos divulgados na imprensa sobre a Operação Monte Carlo”.

Perguntado pelo Relator da CPMI se autorizava a quebra de seu sigilo bancário e telefônico e de mensagens respondeu que era testemunha na CPMI e não havia fundamentos jurídicos para a quebra de sigilo.

Com relação a venda da sua casa, local onde Carlinhos Cachoeira foi preso, declarou a venda da casa feita a Wladimir Garcez, ex-vereador pelo PSDB e ex-presidente da Câmara de Goiânia, que também foi preso pela PF, e que este repassou a casa ao empresário Walter Paulo Santiago. Declarou ainda não saber quem assinou os cheques que pagara a compra da casa e que foram depositados e somente após a concretização do pagamento teve legalizada a venda da casa.  De acordo com a PF o emitente dos cheques é a Excitant Indústria e Comércio, empresa que pertence a uma cunhada de Cachoeira e recebeu depósitos da Alberto e Pantoja, empresa fantasma que supostamente abastecia as contas do grupo de Cachoeira. Nunca houve nenhum pleito da Delta ou empresário ao Governador. Declarou que processou o jornalista Luiz Carlos Bordoni por calúnia por ter o mesmo declarado que recebeu por serviços prestados na campanha co recursos ilegais. Falou ainda que Eliane Pinheiro cuidava de articulações políticas no interior do estado não saber das relações da ex’chefe de gabinete com o Carlinhos Cachoeira.

Dia 13 de junho de 2012

Comparece a CPMI o governador de Brasilia Agnelo Queiroz (Marconi Perillo).

O motivo do comparecimento:

A investigação da Polícia Federal identificou o envolvimento do seu ex-chefe de gabinete, Cláudio Monteiro, com o Carlinhos Cachoeira , assim como outros membros do governo do DF.

Logo no início declarou que era o grupo que na CPMI estav sendo investigado que articulara a sua derrubada no governo de Brasília,  e afirmou. “E não agiu só. Valeu-se das falsas acusações plantadas, de vozes com acessos às tribunas políticas do país, da boa-fé das pessoas ao misturar mentiras e meias verdades”. A seguir questionou os motivos de sua convocação: “Tudo com o objetivo de me desgastar, desestabilizar e, por fim, me retirar do governo do Distrito Federal. Esse governo estava impedindo que o crime entrasse, que se fizessem negociações, que tivesse favorecimento, que indicasse gente. Por isso queriam me derrubar”.

Quanto a denuncia da revista Veja que o governo grampeou ilegalmente jornalistas e autoridades declarou: “Jamais vou permitir que a Casa Militar de um governo democrático possa adotar qualquer atitude nesse sentido”

A imprensa divulgou que os bens do Governador petista crescera quase 12 vezes desde 1998. No depoimento o governador Agnelo  negou irregularidades em seu crescimento patrimonial e abriu seu sigilo bancário, telefônico e de mensagens: “Com a quebra dos sigilos você tira qualquer tipo de ilações. Abro meu sigilo para que possam ser checadas todas as informações necessárias que demonstram que tenho patrimônio compatível”, e completou “Não quero nenhum tipo de suspeição sobre minha vida. Não posso ouvir aleivosias dessa ordem”. Agnelo Queiroz encaminhou ao colegiado declaração de nada consta do Imposto de Renda dele e se sua esposa.

Fazendo um balanço de quando assumiu o governo do Distrito Federal ele relembrou escândalos políticos de Brasília e a operação Caixa de Pandora, que desbaratou o mensalão do Democratas.

Dia 14 de junho de 2012

Reunião administrativa da CPMI do Cachoeira.

Adiou a convocação de empresário Fernando Cavendish, ex-presidente da construtora Delta por 16 votos a 13, e também com a votação de  17 votos a 13, a convocação do ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antonio Pagot.

Quebrou o sigilo bancário dos Governadores Marconi Perillo e Agnelo Queiroz.

Adiou a convocação do do ex-presidente da empresa Delta Construções, Fernando Cavendish, também do ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot.

A reunião administrativa da CPMI hoje convocou:

– a mulher atual do Carlinhos Cachoeira – Andressa Mendonça.

– o jornalista Carlos Bordoni, que coordenou as campanhas eleitorais no rádio do governador de Goiás.

– o ex-assessor de Perillo, Lúcio Fiúza e também aprovou a quebra dos seus sigilos fiscal, bancário e telefônico quebrados.

– o policial civil aposentado, Alcino de Souza, apontado como laranja do esquema de Cachoeira e aprovou a quebra dos seus sigilos fiscal, bancário e telefônico quebrados.

– o contador Rubmaier Ferreira de Carvalho a aprovou a quebra dos seus sigilos fiscal, bancário e telefônico quebrados.

– para prestar depoimento foram convocados ainda,  o ex-segurança do senador Demóstenes Torres Hillner Ananias, o ex-corregedor da Polícia Civil de Goiás Aredes Correia Pires e o arquiteto Alexandre Milhomem responsável pelo projeto da casa vendida pelo governador de Goiás.

Foi aprovado ainda a quebra de sigilo fiscal, bancário e telefônico da empresa de confecções Excitant, que emitiu os três cheques para o pagamento da casa do governador Perillo, no valor de R$ 1,4 milhão e das empresas Rental Frota Logística, GM Comércio de Pneus e Peças, Faculdade Padrão, e Mestra Administração e Participações.

A CPMI deve tomar conhecimento e analisar dos dados das quebras de sigilo e após isso fazer novas convocações.